Eneaotil

Beijos e filho

Me lembro que o meu primeiro beijo foi no ginásio. Claro que eu mentia para todas as minhas amigas e dizia que tinha sido bem antes.

– Muuuuuuuuuuuuuuuuito antes! Tipo assim, amiga… Eu tinha uns 6 anos de idade, saca?!

Nem sei se era mentira, podia até ser que nas brincadeirinhas de médico da infância eu tivesse dado um beijinho ou outro, mas aquele do ginásio é que é considerado o primeiro beijo. Sob pressão, tenso, no limite da idade permitida para ser a sigla que nenhuma menina queria ser no ginásio: BV. Boca-virgem!

O caso é que naquele sábado o Daniel, um gordinho da sala a quem só restava ser simpático e oferecer festinhas no quintal de casa, ia fazer um mega bailinho para comemorar seu aniversário. E a gente sabia o que significava o bailinho do Daniel: era agarrar a oportunidade de deixar de ser BV com unhas e dentes, ou terminar a festa (lá pelas 10 da noite) segurando um cabo de vassoura (e na época ninguém sabia o que fazer com um cabo de vassoura, ao contrário de você, leitor).

Eu me aprontei toda e subi no FIAT 147 do papai, que me deixou na festinha. Recusei o cachorro quente e a porção de salgadinho cheetos para não ficar com os dentes cheio de craca amarela e me entupi de refrigerante. Estava todo mundo lá! Dançamos músicas da Legião Urbana, falamos besteira e lá pelas tantas o estroboscópio começou a girar ao som de Wishing On A Star, aquela canção que ficou famosa por ser o tema da Yasmin (in memorian) e do Guilherme de Pádua.

Foi quando avistei o Renan. Ele não era da minha sala, ele usava o cabelo penteado para o lado e roupas da Fido Dido, além de todas as garotas acharem ele um arraso porque o Renan já era tão crescido que tinha até espinhas na cara. Ele era per-fei-to para o primeiro beijo.

Então eu tomei coragem e o chamei para dançar. E daí para me ver naquela parede da casa do Daniel cheia de heras com o Renan fazendo biquinho na minha frente, foi um pulo, nem me lembro o que aconteceu. Só sei que a teoria do beijo eu já tinha aprendido há séculos na televisão, portanto seria fácil. “Abrir a boca, colocar a língua para fora e girar a cabeça em círculos, que nem o estroboscópio”, pensei.

O curioso foi que na hora em que eu estava ali, beijando o Renan, eu pensei na Bruna, na Talita, na Tatiana, na fulana e na beltrana. Eu precisava contar aquilo para todas porque, na bem da verdade, aquele beijo tinha sido para elas.

O Renan recuperou o fôlego, eu também e entramos de novo na festa, sem dizer uma palavra. Nem um “foi bom pra você?” ou “te vejo na escola”. Aliás, foi assim pelo resto do ginásio. Porque a minha história com o Renan já tinha sido escrita, com começo, meio e fim, embora tenha durado um minuto.

***********

Recentemente, eu estava no ônibus quando o Renan sentou bem ao meu lado. Ainda tinha espinhas e o cabelo penteado todo para a esquerda. Eu aproveitei que ele falava no celular para puxar um livro da bolsa. Não que ele fosse me reconhecer, mas, por via das dúvidas, não custava afundar a minha cara naquelas páginas. Até porque ninguém usa mais cabelo de lado desde 1990epoucos.

***********

Na época do beijo, nem pensei em contar para minha mãe. Acho que foi um misto de timidez com o fato de me sentir uma fora da lei, o que tornava tudo mais gostoso. Mas sei que a poupei de envelhecer uns 12 anos (pelo menos de cuca).

Luquinhas chegou para mim no ano passado e disse:

– Eu já beijei de língua!

Na hora eu tomava alguma coisa e escorreu tudo pelo nariz.

– Co-como assim, Lu?

– Eu voltava do recreio e cheguei antes na sala de aula. A Kathilyn (será que é assim que escreve isso?) também. Estávamos sozinhos. Eu olhei para ela, ela olhou para mim e demos um beijo de língua. Mas olha, mãe, isso é um segredo só nosso, hein?!

Nem sei se quando estiver no ginásio, o Luquinhas vai considerar esse o seu primeiro beijo, mas acho que não. Só sei que ele precisa aprender que alguns segredos não são divididos com a mãe. Principalmente se ela tem um blog.

6 comentários em “Beijos e filho

  1. A que descobriru os sonônimos do BROffice
    29 janeiro, 2008

    Só quero deixa BEM claro que sou fã (!!!) desse blog.
    Sem mais

  2. venenoso
    29 janeiro, 2008

    digo e repito:
    geeeentemmmmmmm!
    Vc vai ser avó aos 30! ahhahaha

    e o Renan, nao te reconheceu???

  3. Júlio
    29 janeiro, 2008

    Hahahahaha, pô, eu ainda penteio o cabelo para o lado. Quer dizer, o pouco que resta… =P

  4. Elaine
    29 janeiro, 2008

    Amiga,

    Desde cedo safa, heim! Cheia de iniciativa…gostei de ver….

  5. Hellen
    30 janeiro, 2008

    Rsrsrsrsrsrsrs, essas crianças.

  6. Vanessa
    30 janeiro, 2008

    Oie, como sempre, passei para dar uma bisbilhotada nessas suas histórias tão bem escritas. Ah, adorei a visita lá no nostemosumblog, que tá abandonado, hehe. Beijo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 29 janeiro, 2008 por em Sem categoria e marcado , , .
%d blogueiros gostam disto: