Eneaotil

Bullying e histórias relacionadas

* Enquanto nada de muito interessante acontece na minha vida, aproveito para inaugurar uma nova categoria. Na “Vale a pena ler de novo?” postarei histórias mais antigas já escritas, tanto no finado Subversiva, quanto no finado e enterrado Indecências. Essa debaixo foi escrita em 23 de Agosto de 2007, nem faz tanto tempo assim.

Eu nunca acreditei muito nesse papo de que criança é um bicho puro, indefeso e ingênuo, visto que sempre fui uma criança zoada até aprender a zoar todas as outras. No pré, as menininhas mais patricinhas riam de mim por causa do meu nome ou porque, desde cedo, eu não era fofucha e rosada. Nem tão boa na aula de religião.

Depois eu estiquei demais, emagreci demais, perdi os dois dentes da frente e entrei naquela fase medonha e disforme da pré-adolescência, onde todos merecem ser zoados. Além do que, eu sempre usei roupas de meninos herdadas do meu irmão e do meu primo, nunca quis fazer ballet, era fã de futebol e colocava taturanas na cabeça.

Fui a última da turma a ter peitinhos, vivia com as canelas roxas, usava uma maria chiquinha de lado nos anos oitenta e, já na adolescência, vestia roupas largas e camisetas de banda de rock. Na fase grunge, escondia a falta de bunda com camisas xadrezes de flanela amarradas na cintura e na fase mais punk rock guardava as canelas finas em coturnos pretos que iam até o meio da perna.

Quando fazia muito frio, vestia uma touquinha do Timão e matava a minha mãe de desgosto, que me apelidou carinhosamente, naquela época, de “mulamba girl”.

Aí entrei na minha fase piqueteira-Che-Guevara e eu tinha certeza que a revolução estava próxima. Eu acho que até hoje não sou muito convencional, o que faz as pessoas torcerem um pouco o nariz assim que me conhecem. E todo mundo só não sai correndo de vez porque, no fim das contas, eu sou até divertida.

Por causa de todo esse histórico, eu tive de aprender cedo a técnica do zoe-antes-que-te-zoem, que consiste em achar o ponto fraco alheio e fazer com que ele vire uma piada. E contá-la em público assim que o fulano reparar nas suas canelas finas. É o tal do bullying que, se feito de forma exagerada e humilhante, pode levar o fulano a entrar atirando em repartições públicas ou em salas de aula do ensino médio.

***

Luquinhas, outro dia, contava a mim e ao Daniel que tem um amigo com sobrepeso (vamos usar termos menos agressivos) em sua sala de aula.

– Ele fica bravo quando todo mundo começa a rir e a chamá-lo de bolo de almôndega.

Na hora eu quis rir, mas quando se é mãe tudo muda e é a sua vez de dar o exemplo:

– Que coisa feia, Lucas. Não pode chamá-lo assim. Você gostaria que te chamassem de perninha de sabiá (Lucas é magrinho)? Ou de lobinho (Lucas é peludinho)?

Mas parece que o sermão não adiantou muito. Outro dia fui levá-lo na escola e estávamos esperando o portão abrir quando encostou uma perua escolar:

– É a perua do baleinha!

***

Na sala do Lucas também há um menino que vive fazendo cocô na calça. Não é tão normal nessa idade, afinal, com quase seis anos, as crianças saíram das fraldas faz tempo e já conhecem tudo sobre o vaso sanitário.

Parece que é um trauma que o menino tem de descarga e, ao invés de cagar e não dar descarga, ele se borroca todo, tadinho. E os coleguinhas de classe, ao invés de dizerem que vai ficar tudo bem e fazerem um cafuné em sua cabeça, isolam o menino no canto da sala (deve feder, gente) e cantam músicas como:

“O peido é um aviso
Mandado pelo intestino
Avisando o chefe bunda
Que o trem bosta já vem vindo”

Um bando de canalhinhas. Não foi uma, nem duas vezes que cheguei na escola para buscar o Lucas e encontrei o Thiago chorando, sem amigos. É quase todo dia e nem preciso mais perguntar para o meu filho qual é o motivo:

– Fez cocô na calça, mãe!

E eu explico todos os dias que tem que dar uma força para o Thiago porque quanto mais eles riem, pior fica a situação do menino. O trauma vai aumentando e eu imagino o Thiago chorando no canto do escritório e tendo que passar pelo RH para dar baixa na carteira de trabalho pela centésima quinta vez em menos de um ano, afinal é preciso fazer cocô todos os dias.

Mas a Bia costuma afirmar que a Roda da Fortuna nunca falha, seja lá o que isso quer dizer. Outro dia eu estava no trabalho e minha mãe me chamou no google talk para contar que o Luquinhas tinha feito cocô na calça. Eu fiquei surpresa, mas imaginei que o desenho animado devia estar divertido à beça, que a preguiça foi maior do que a vontade e que isso pode acontecer com todo mundo (não, gente, não acontece comigo. Nem quando vejo Bob Esponja).

Lembrei do Thiago imediatamente e decidi que quando buscasse o Lucas na escola ia usar o episódio da manhã como exemplo para que ele nunca mais zoasse o cagãozinho coleguinha. E também pensei em me redimir de todos os meus pecados, da infância até os dias de hoje, e comprar para o baleinha outro menininho uma daquelas camisetas “Sou gordo e posso emagrecer. E você que é feio?”, mas nenhum deles ainda sabe ler.Só que eu não podia dizer para o Lucas que a mamãe tinha me contado o episódio porque ia soar como fofoca e ele ficaria envergonhado. Precisava arranjar uma maneira de fazer com que ele me contasse.

Quando fui buscá-lo, no fim da tarde, esperei um tempo para ver se me contava espontaneamente e nada. Aí resolvi perguntar sobre o Thiago:

– E aí, Lucas? Como está o Thiago? Ele melhorou ou fez cocô na calça hoje de novo?
– Fiz!

22 comentários em “Bullying e histórias relacionadas

  1. Natália
    6 março, 2008

    hahaha a musiquinha! ouvi de uma amiga no colégio e nunca mais lembrei dela… obrigada! XD

  2. Papis
    9 março, 2008

    A última do Lucas na véspera do dia Internacional da mulher falou para a avó
    – amanhã é dia das mães, não é vó?
    – Não, é da mulher -corrigiu a vovó…
    – E o que é a mamãe, Vó?- perguntou Luquinhas sem se perturbar…

  3. sdtjfasdgjfy
    7 janeiro, 2010

    pila no cu

  4. kely
    28 agosto, 2010

    oiie eu tanbem ja sofrei varias vezes bulliyng na minha escola … eu nunca gostei de ser zuadda mas e a vida…

  5. nara
    9 setembro, 2010

    oi,eu ja sofri bullying mas aprendi uma coisa vc nunca deve abaixar a cabeça lute pelos seus direitos!!!

  6. taty
    9 setembro, 2010

    eu ja sofri bullying mas estou com a NARA “nunca podemos abaixar a cabeça lute pelos seus direitos”!

  7. janaina
    29 setembro, 2010

    muitas das pessoas que cometem o bullying são moleques mais velhos contra crianças o bullying são agressões fisicas e verbais quanto piscologicas as pessoas que sofrem a agresão ficam até com medo de voltar a escola

  8. kaka
    13 novembro, 2010

    Eu ja fiz um bullying com o meu amigo que se pareca com um macaca

  9. lara eduarda
    6 abril, 2011

    eu nunca fiz com ninguem a barbaridade bulling e nunca cometeram essa barbaridade comigo por isso vou deixar esse comentario: quando alguem fizer isso com voce nao abaixe a cabeça e deixe rolar e deixe te zuarem erga a cabeça e fassa de conta que voce e a pessoa mais feliz desse mundo. viva o presente tema o futuro e que dane-se o PASSADO.

  10. Báh
    13 abril, 2011

    A única maneira de combater o bullying é “acabando” com esses Agressores, usando um método bem simples: Humilhação!!!!
    Nada melhor do que vc discutir com uma pessoa e deixa-lá sem palavras utilizando palavras de intimidação e pouco conhecidas. Sendo assim, eles não iriam saber o significado delas e acabariam ficando quietos sentindo -se intimidados, etc…

  11. chrislayne rocha
    15 abril, 2011

    eu nuca sofrie bullyng mais sei como er ruim!!!

  12. Débb .
    20 abril, 2011

    Bullyng , é uma coisa muuuito séria , que pode até dár cadeia , coisa que poucos sabem . Mas cadeia é o de menos , pode causar problemas muito sérios , com os sofredores de bullyng , muito sérios mesmo ! . Para os causadores do bullyng , isso é uma diversão , mais e para os sofredores do bullyng ? Tenho certeza que não é uma diversão . E sim uma humilhação , um sofrimento , pois é , sa vezes as pessoas estão tão cegas pela violência & a maldade que não enxergam isso . Ou talvez seja que elas não querem enxergar e se fazem de cegos desentendidos . ;

  13. Débb .
    20 abril, 2011

    Olha ae aposto que o sem noção que postou esse comentário : pila no cu . é um dos causadores do bullyng ._. os causadores smepre são os “restardador&idiotas” desculpem pela ofença ! , mais é a realidade , fazer o que . *-*

  14. henrique
    2 junho, 2011

    concertezaa

  15. maressa de moura silva
    14 junho, 2011

    eu nunca sofri bullyng e nunca quero sofrer !

  16. aline
    20 junho, 2011

    que educação não?

  17. luana
    20 junho, 2011

    que falta de respeito

  18. stephanie
    19 agosto, 2011

    oi eu nunca sofri bullying mas nao quero que nimguen sofra por causa do bullying por que te chigam de coisas que imaginam mas nao e verdade por que quem tenque ver os defeitos seus e vc tchau vamos lutar contra bullying

  19. abigail
    1 novembro, 2011

    bullying é feio não faça isso

  20. dehh
    6 dezembro, 2011

    bulling é uma p… falta de sacanagem, porque as pessoas nao nasceram para serem zoadas, entre amigos ate vai um apelido ou algo do tipo mais passar dos limtes jamais.. onde eu estudo me chamam de nariguda e de cheira giz, mais eu fingo que nada acontece, só que se alguem passa perto de mim e fala algo a meu respeito saio na porrada ou xingo qualquer um, tenho muitos apelidos guardados na cabeça como do tipo: ORELHA DE BATE BOLO, CABEÇA DE NOIS TUDO, POKEBOLA, TELETUBBIES, NARIZ DE DAR AUTOGRAFO, entre outros..
    OBS: “me odeia deita na BR, porque eu nao sohh obrigada TÁÁ QUERIDAA”..NAO MEXE COM QUEMTA QUIETO..

  21. Ulisses Oliveira
    18 janeiro, 2012

    Bullyng é feito por pessoas que não tem bom senso, e muitas vezes nem sabem o mal que estão fazendo. E quando sabem, não tem idéia da consequencia que isso traz em um futuro. Quem já não tirou sarro da desgraça alheia? E tem gente que se diverte com esse tipo de coisa, até em programas de TV ( o que tem sido comum em nossa televisão a anos, Faustão e tal). Não tem nada de mais em se divertir com isso, mas não se sensibilizar com a dor alheia é muito pior. E quem recebe o bullyng, muitas vezes é porque tem pouca ou nenhuma alta estima, que é de berço. Pais zoam seus filhos em seus erros, e já vi até dizendo na frente deles que são incapazes, feios, burros, sem coordenação e etc. Por exemplo? Seu filho faz algo errado e você diz “é burro mesmo”, ao invez de “Filho, está errado, deixe-me ensinar…”. E tenho certeza de que ele vai te surpreender da próxima vez. Alta estima é de berço, vem com os familiares. Quem sofreu bullyng e superou, em 90% dos casos, foi porque desenvolveu auto estima, e se analizar bem, vai encontrar alguem em sua vida (familiares ou amigos próximos) que o motivou.

    Ou seja, bullyng começa em casa, e termina lá também.

  22. haha
    29 fevereiro, 2012

    ja sofri bullying mas passei por sima e deixo esse recado pra quem sofre:
    conte pra DEUS E CONFIE NELE

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 6 março, 2008 por em Sem categoria e marcado , , .
%d blogueiros gostam disto: