Eneaotil

Capítulo 5: depois do fim

Crianças descomplicam absolutamente tudo. Quando o Lucas tinha uns 5 anos, ele chegava na praia, em Riviera, e saía perguntando para todas as outras crianças se alguma delas queria ser sua amiguinha. Menos de 10 minutos depois, todas as crianças da praia estavam sentadas juntas, cavando um grande buraco com as mãos até conseguirem achar água, mesmo com um oceano todo ao lado.

Ok, isto é complicar um pouco, mas qual adulto consegue fazer sequer um amigo cavando um buraco? O Lucas conseguia mais de 20. E no fim do dia se despedia de todos, sem dor no coração, para nunca mais vê-los. Ficava sempre tudo bem.

**

Rebecca passou longos dias sem ligar em casa. Até eu comecei a sentir falta. Depois de passados três dias da pergunta de como se termina um namoro, Lucas ainda não tinha arranjado coragem para terminar. É sempre difícil. Desde sempre.

– Já sei! Vou fazer por MSN!

Essa geração é realmente mais avançada porque eu demorei anos e anos para entender que isto era possível.

Mas a menina provavelmente não pagou o Speedy e ficou tempos sem conectar.

**

Um dia, fui buscar o Lucas na escola e logo à nossa frente Rebecca caminhava com sua mãe e sua irmã. Eles mal se olharam e a mãe, que por semanas me cumprimentou efusivamente, soltou um muxoxo ao invés de um sorriso.

– Vocês terminaram, né?

– Não com palavras, mãe.

– Como foi então?

– Ela me olhou diferente, eu a olhei diferente e pronto. Nós dois soubemos que estava tudo acabado.

Comunicação via olhar. Mais eficaz que MSN.

**

O mal estar entre os dois não durou nem 24h. Ela ligou, ele ligou, ela conectou, ele conectou, eles mandaram emoticons uns para o outro como dois bons amigos que nunca tinham brigado. Ontem voltamos da escola conversando todos: eu, Lucas, ex-namorada, ex-sogra, ex-cunhada.

Antes de nos despedirmos, a mãe da Rebecca disse:

– Deixa o Lucas ir lá em casa qualquer dia!

“Agora que eles terminaram, pode ser”, pensei.

– Deixo, claro. Vamos combinar.

E os dois logo ali em frente, rindo e brincando. Sem nunca terem precisado cavar um buraco.

19 comentários em “Capítulo 5: depois do fim

  1. Rob Gordon
    25 fevereiro, 2010

    Isso rende um livro, fácil. São os melhores textos que você fez – e olha que a competição é dura.

  2. Ricardounplay
    25 fevereiro, 2010

    seus textos me lembram Anos Incríveis.

  3. MarianaMSDias
    25 fevereiro, 2010

    “E os dois logo ali em frente, rindo e brincando. Sem nunca terem precisado cavar um buraco.”

    Essa é síntese de tudo, da mais pura simplicidade infantil.

    Por algum tempo eu desconfiei, antes de concretizar a mais absoluta certeza, que meu filho de 8 anos é emocionalmente anos-luz mais maduro do que eu. Crianças são irritantemente simples, e nos fazem deparar com o ridículo que somos nós, lamentando e lavando as escadarias da Penha com lágrimas, até entender que, logo alí na esquina, a vida está continuando a todo vapor!

    Parabéns às crianças, que aprendem muito melhor, e mais rapidamente, do que nós!

    Leonor, você é terrivelmente maravilhosa em seu modo de escrever!

  4. Rebiscoito
    25 fevereiro, 2010

    O Lucas é incrível!

    Ah se todos nós tivessemos mantido essa simplicidade que tínhamos quando eramos crianças…Alguém lembra onde foi exatamente que ela resolveu ir embora? :(

  5. dede
    25 fevereiro, 2010

    O Lucas ja eh um grande homem aos 8 anos.
    Invejo-o, de forma boa.
    beijos para ambos.

  6. Bonilha
    25 fevereiro, 2010

    Realmente, rende um ótimo livro.

    Lê, curti muito estes textos, e vendo essa saga do Lucas, lembro como quanto mais velhos ficamos, mais difícil é cavar um buraco para sustentar uma amizade.

    Bjs

  7. Franz
    25 fevereiro, 2010

    Por que depois de velho a gente resolve complicar tudo? Criança é sempre tão mais sábia!

    “Eu fico com a pureza das respostas das crianças:
    É a vida! É bonita e é bonita!
    Viver e não ter a vergonha de ser feliz,
    Cantar, e cantar, e cantar,
    A beleza de ser um eterno aprendiz.
    Ah, meu Deus! Eu sei
    Que a vida devia ser bem melhor e será,
    Mas isso não impede que eu repita:
    É bonita, é bonita e é bonita!”

  8. Viviane
    25 fevereiro, 2010

    Luquinhas podia dar workshop de inteligência emocional para muito marmanjo por aí.

  9. Táta Louzada
    25 fevereiro, 2010

    Eu quero voltar a ser criança!
    Luquinhas é um GÊNIO!

  10. Marília
    25 fevereiro, 2010

    O Lucas é um menino de sorte e você é uma mãe de sorte.
    Adoro o seu blog. :)

  11. Aline
    26 fevereiro, 2010

    Crescer é difícil pq endurece a gente…

  12. Tatiana T
    26 fevereiro, 2010

    SEN-SA-CIO-NAL!!!

    Virei fã do seu blog, do jeito que vc escreve, do Lucas…

    Muito bom!

  13. paulo franco
    26 fevereiro, 2010

    Do jeito que andam as coisas pra mim, fazer amigos cavando buraco só quando chegar no Japão! Eita fase braba!

  14. Kritz
    26 fevereiro, 2010

    Lelezuda, minha querida… Eu, que estou aqui a 3 semanas de parir o Daniel, fiquei com medo ao ler tudo isso. Medo porque ser mãe de crianças dos dias atuais deve ser barra pesada. A começar porque somos obrigados a enxergar algumas mediocridades nossas, as mediocridades de gente grande. Ufa! Grande beijo pra você, diga ao Lucas que eu quero ser amiga dele.

  15. GrasiGrasi
    27 fevereiro, 2010

    Leonor, vi seu depoimento no mãofeita e entrei aqui por acaso, simplesmente me apaixonei pelos teus textos e li teu blog até o fim (!), sim, fiquei até umas 4 da manhã lendo e rindo com cada coisa bem humorada que vc conta.
    Teu filho é uma graça, quando crescer quero um filho lindo e inteligente como o seu! =D
    E quero ser uma mãe tão legal e compreensiva como vc.
    Admirei muito o jeito que vc trata as coisas da vida!
    Não esquece da idéia de escrever um livro dele, além de engraçado vai ser super especial pros dois…
    Desculpa as intromissões, é que depois de conhecer tanto de vc me sinto íntima mesmo não sendo.
    Bom! Passei pra dizer que adorei isso aqui e pedir que não abandone jamais! xD

    Sucesso sempre!

    Bjo!

  16. May
    27 fevereiro, 2010

    Leonor, assim como a GrasiGrasi, eu vi seu post no Mão Feita e através dele, acessei o Eneaotil.
    Seus textos são apaixonantes, mesmo! Faço das palavras dela, as minhas. Aliás, faço das palavras de todos que comentaram, as minhas. Você e Lucas são fantásticos como mãe e filho!
    Vou continuar acompanhando o blog! Abraço.

  17. Pingback: Ultimele clipe ale Planetei Albastre? « Cuib de mitralieră

  18. mariasso
    1 março, 2010

    Me passa o msn dele? Eu preciso de umas dicas!

  19. Thiago
    1 março, 2010

    Puxa vida. Achei o blog casualmente googleando coisas aleatórias. E adorei. Parabéns pelos textos geniais, e continue assim!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 25 fevereiro, 2010 por em Sem categoria e marcado .
%d blogueiros gostam disto: