Eneaotil

Amar é… viver com o coração aos pulos

No sábado à noite, eu e Rafa assistíamos a um programa de TV sobre uma mulher que tinha sofrido um acidente três dias antes de seu casamento. Ela ficou em coma por seis meses e o noivo abandonou tudo, inclusive o trabalho, para cuidar da pobre.

– Rafa, se eu sofresse um acidente, você faria isso por mim?

(Por que mulher está sempre pedindo provas de amor?)

– Claro. Mas é muito mais provável que eu sofra um acidente.

– Credo. Não quero pensar nisso.

– Mas é verdade, amor. A probabilidade de eu sofrer um acidente na moto é muito maior. Você tem sempre que estar preparada para receber um telefonema.

Quase terminei ali.

No domingão, fomos ao jogo e depois o Rafa foi pra casa. Saiu de lá umas 23h30 e eu fui deitar para ver Indiana Jones e o Templo da Perdição. Só que deixei o celular carregando na sala. Quando acordei hoje, minha mãe avisou que eu tinha quatro chamadas perdidas, todas feitas durante a madrugada. Olhei e eram do Rafa: 23h40, 23h45, 23h50 e 0h03.

Meu coração veio na boca e tentei ligar pra ele. Caixa postal.

Já imaginei ele debaixo de um caminhão assim que saiu de casa, na Marginal Tietê, me ligando para pedir socorro. “Era sua última ligação antes de morrer e ele a fez para mim”, pensei. Sorri por um momento, mas um segundo depois comecei a arrancar os cabelos.

Liguei de novo. Caixa postal de novo.

VIÚVA ANTES DE CASAR. POR QUE EU, MEU DEUS? POR QUE??????????

Liguei e chamou. Ele atendeu com uma voz horrível:

– alô…

– ALÔ, AMOR?!?!? VOCÊ TÁ VIVO, GRAÇAS A DEUS! VI QUE ME LIGOU ONTEM! VOCÊ TÁ COM UMA VOZ PÉSSIMA, EM QUAL HOSPITAL QUE VOCÊ TÁ???

– Tô com a voz péssima porque estava dormindo e te liguei ontem para saber se tinha esquecido meus óculos na sua casa…

17 comentários em “Amar é… viver com o coração aos pulos

  1. Ândi Garcia
    30 agosto, 2010

    O amor é… cego. Ou míope, que seja.

  2. Bruninha
    30 agosto, 2010

    Partilho do seu sofrimento, sabendo que o namorado trabalha com máquinas que podem deixar ele sem um dedo, um braço, uma perna, sem a vida, sem a camisa do SP (\o/)

    hahahaha

  3. .mila.
    30 agosto, 2010

    E hoje? Eu e meu namorado indo para o trabalho, ele pede que eu carregue a mochila dele, de repente sinto um peso nos meus ombros, ele havia caído sobre mim, com a blusa toda enroscada na cara. Levei um puta susto, achei (sei lá porque) que ele estava tendo um ataque epilético, comecei a gritar: ‘o que foi?’ ‘meu deus! que que tá acontecendo?’, ‘Léo?Léo?’ … quando na verdade ele só havia tropeçado, pois não estava vendo nada com a blusa de frio toda enrosacada na cara.

    ¬¬’

    O amor (e mulher neurótica) têm dessas coisas.

  4. Ronise Vilela
    30 agosto, 2010

    Viu? no final deu tudo certo. E uma coisa você pode ter certeza: notícia ruim chega a galope, sempre chega!

  5. MarianaMSDias
    30 agosto, 2010

    MORRA MULHER! (pensamento impublicável no momento em que o Rafa viu o nome da Lelê piscando no visor do celular…)

    “Sorri por um momento…” Muito mulher isso! hahahaha, “O cara morreu mas pelo menos foi pra mim que ele fez a última ligação. Estou feliz!”

    Motoboy, corinthiano e namorado da Subversiva, esse cara tem pouquíssimas chances de ter uma vida longa!

    (bate 3x na madeira!)

    Beijos

  6. mepagaumacoca
    30 agosto, 2010

    HAHAHA. Mulher sempre tem essas neuras!
    Que nervosa que eu ficaria.
    Beijo.

  7. duniaabed
    30 agosto, 2010

    Qualquer tipo de amor nos deixa meio neuróticas mesmo, seja ele pelo namorado, pela mãe, pelo filho, papagaio, periquito… Faz parte da vida de (quase) toda a mulher.

    @DuniaAbed
    http://blogdaestagiaria.wordpress.com/

  8. t4yra
    30 agosto, 2010

    Ao menos o final foi genialmente engraçado – hahahahaha

  9. Bruna H. Farias
    30 agosto, 2010

    ahhh como eu amo isso aqui e vc tem sumido tantooo hehehe

  10. Lizzie
    31 agosto, 2010

    Eu SEMPRE faço isso, meu marido não pode atrasar meia hora sem me avisar que já começo a querer ligar pros hospitais! Se ele tivesse um trabalho perigoso (pois é, não tem) eu já tinha enfartado.

  11. Ana Lacerda
    31 agosto, 2010

    Você precisa urgente melhorar a sua programação de sábado a noite.
    Nada de programação deprê…
    Bjos

  12. sarah-nossa-terra
    31 agosto, 2010

    olha eu ri hein, mas sei bem oq vc passou, esses noivos-namorados-maridos q tem moto, nos deixam sempre com coração na mao!
    bjinhus

  13. Jojo
    31 agosto, 2010

    Nossa, que doença.
    Para de ver esses filmes e esses jornais sanguinários. Tão afetando seu cérebro.

  14. Ana Luísa
    31 agosto, 2010

    Eu tbm sou dessas de tomar sustos e imaginar umas situações ruins. No fim, dou risada. Mas sabe que mesmo enquanto imagino fico com aquela ponta de certeza de que não é nada demais. Sei lá, autodefesa, hahaha.
    beijoss

  15. Bianca
    1 setembro, 2010

    Tô parecendo uma doida, entrando aqui de 5 em 5 minutos esperando por um texto sobre o Centenário! rs

  16. Carol Braga
    1 setembro, 2010

    Olá, você poderia me fornecer o seu email?
    Para um contato comercial?!

  17. Fábio Sallum
    1 setembro, 2010

    Leonor, adoro suas crônicas da vida real.

    Ri muito com seu texto!

    Beijos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 30 agosto, 2010 por em Sem categoria.
%d blogueiros gostam disto: