Eneaotil

Capítulo 18 – TOP! TOP! TOP! TOP!

Dia desses, levei o Luquinhas em uma festinha no prédio da minha mãe. Lá pelas tantas, uma menina de sete anos, toda bonitinha e serelepe, veio falar comigo:

– É verdade que o Lucas já teve 11 namoradas?

– Sim. Por que? Ele está te paquerando?

– Tá sim! Quer dizer, nós dois já estamos namorando. Mas só até o fim da festa.

Tipo ficando, sabe?

**

O caso é que, apesar de ser a 12ª namoradinha do Lucas (e contando!), ele foi o primeiro namorado dela. Aquele que ela vai lembrar por bastante tempo, talvez. E quando as filhas dela, no futuro, perguntarem quem foi seu primeiro namorado, ela vai responder, com aquele sorrisinho no rosto de quem tem saudades da infância, que o nome dele era Lucas.

Do mesmo jeito que eu me lembro do Rafael, meu primeiro namoradinho do maternal. Acho que já contei aqui no blog sobre ele: um molequinho que comia bolachas do chão. Quando ele se mudou de escola, passou um tempo ligando em casa, aos prantos, para dizer que tinha saudades.

Logo depois, no pré II, eu namorei outro Rafael. Esse foi um namoro longo, durou acho que um ano, até que ele me trocou pela Ana Elisa. Depois vieram Flávio e Antônio ao mesmo tempo, porque, veja bem, eu era uma mulher magoada e precisava me vingar. Lembro que, durante o recreio, eu sentava na área do bebedouro, no meio dos dois para receber cafuné.

Aí eu enfrentei uma longa seca, da primeira série até o segundo colegial, quando eu conheci o Luiz. Às vezes cometo o equívoco de dizer que ele foi o meu primeiro namorado, ignorando a existência do Rafael. E, na bem da verdade, o Rafael me ensinou tudo o que eu sei sobre o amor, afinal quem é que continua amando vendo o outro comer bolacha do chão?

**

Logo, a festa toda sabia do namoro dos dois e eu dei o azar de a família inteira da menina estar no evento. Aos poucos, tio por tio veio falar comigo:

– Ela  me contou que eles estão namorando, mas acha que não vai dar certo porque o Lucas é muito galinha.

Como ele poderia não ser se as meninas só querem namorar com ele até o fim da festa? Meu filho é tipo uma unanimidade: 12 das 12 meninas que ele já namorou meteram-lhe a bicuda.

Ainda assim, preciso explicar para ele que algumas coisas em um namoro não devem ser ditas, mesmo que a companheira ou o companheiro queiram saber. Isso é um bom conselho para a vida toda. Não vale a pena perguntar o que você não quer ouvir. Nem dizer aquilo que ninguém quer ouvir. Acho que a gente tem uma mania meio sadomasoquista, desde criança, de querer saber sobre o passado dos outros sabendo que não vai gostar da resposta. Então eu aprendi que é melhor não perguntar. E se te perguntarem, é melhor não responder.

**

Daí veio a avó da pequena. Estávamos sentados no sofá: eu, meu namorado (o terceiro Rafael) e um amigo do Lucas jogando videogame. Ela, de pé na porta do prédio, puxou papo. Contou que era o primeiro namorado da menina e que achava tudo muito avançado para a idade. E o amiguinho do Lucas jogando videogame.

Eu lhe expliquei que o Lucas já tinha tido várias namoradinhas, mas namorar para ele era brincar junto na hora do recreio. Que nem pegar na mão ele pegava. Que eu conversava muito com ele. E o amiguinho do Lucas jogando videogame. Até que ele abriu a boca, ainda jogando videogame:

– É, o Lucas até pediu para eu falar com ela para ver se ela queria… você sabe.

O que? Namorar com ele? Brincar com ele? Achei até fofo o menino ter feito as vezes do cupido.

– Não sei – respondi, ainda sorrindo. O que?

Ele soltou o DS e fez aquele gesto de foder. Sabe? O “TOP”? Ele fez exatamente isso. Só um top.

– O QUE???????????????? – dei um grito.

E aí ele fez vários tops. TOP! TOP! TOP! TOP! TOP! TOP!

Te pergunto: o que se faz em uma hora dessas? Porque eu sabia que a avó da menina estava ouvindo aquilo e que eu não passaria de estado sólido para gasoso em segundos só para evitar a situação de ter que olhar para ela. Pensei em sair correndo, pelada, gritando pelo prédio para desviar a atenção, mas meus pais ainda moram lá e eu não poderia comprometer a moral de TODA a família, já que parte dela tinha sido perdida ali, naquele momento.

Meu namorado pegou o celular e começou a jogar compulsivamente só para não ter que olhar pra véia. Eu me virei, lentamente, para encará-la. Ela me olhava com aquela cara de “O HORROR! O HORROR!” e eu só disse:

– Um minuto. Vou conversar com ele.

Saí daquela cena e fui até o parquinho, onde os dois brincavam de gangorra. Chamei o Lucas de canto e contei mais ou menos o que tinha acontecido, poupando-lhe dos gestos obscenos:

– MÃE, PELO AMOR DE DEUS, EU NÃO FALEI NADA DISSO!

Ele ficou bem desesperado.

– O que foi que aconteceu, então?

– Eu estava com vergonha e pedi que ele fosse conversar com a menina porque eu queria namorá-la. Só isso. Nunca disse sobre transar com a menina. Nunca transei com ninguém.

Ufa!

– Bom, se todo dia a gente aprende uma lição, a de hoje é que você não pode contar certas coisas para certas pessoas porque elas podem te colocar em situações como essa, Lucas. E agora?

– Conversa com a avó dela, por favor? Diz que eu não quero transar com a neta dela.

Tem cabimento? Eu tendo que ir falar para a avó de uma menina de 7 anos que meu filho de 9 anos não quer transar com ela? Nem por um cacete cravejado de diamantes. Mas fui até a senhora e expliquei que tudo tinha sido um mal entendido. Assim, com poucas palavras.

**

Passei o resto da festa sentada no parquinho, olhando os dois brincarem. Não que eu tenha achado que eles iam transar se eu não estivesse ali. Fiquei olhando com saudade desse tempo que logo passará. Sei que em breve as coisas ficarão mais sérias para o Luquinhas. Daqui a alguns anos, espero, as brincadeiras de gangorra darão lugar a cinemas, sorvetes e telefonemas demorados com “desliga você”, “não, desliga você primeiro”. E as brincadeiras de trepa-trepa, bem, serão brincadeiras de trepa-trepa.

43 comentários em “Capítulo 18 – TOP! TOP! TOP! TOP!

  1. Ândi
    16 maio, 2011

    Agora quase o Lucas passou de menino prodígio pra menino super-ultra prodígio.

    Hehe. Mais uma bela narrativa. :)

    (E agora passarei o resto do dia com a música dos Mutantes na cabeça)

  2. George
    16 maio, 2011

    “Aí eu enfrentei uma longa seca”

    continuo a ler quando parar de rir ♥

  3. Tayra
    16 maio, 2011

    O que eu mais ri foi da reação do Rafa. Mas é, amiga, o tempo passa rápido, muito rápido e tudo isso é parte do processo. Até o TOP, TOP, TOP!!! =D

  4. Gabriela 'Pear' dos Santos
    16 maio, 2011

    Incrível…
    Como sempre, tô rindo até agora!!!

  5. uilson76
    16 maio, 2011

    Bom..ao ler o post tive reações distintas:
    1. lembrar da Andreia, a japonesinha que foi minha primeira namorada no pre-primário…dava muita repercussão…era o escurinho andando com a japonesinha

    2. Pensei em pagar fortunas para que a cena com a avó da garota fosse reproduzida em algum programa de TV…ia ser top de audiência…eita..falei top!!! ahahaha

    3. Só a pouco parei de rir com mais uma pérola: o “cacete cravejado de diamantes”

    Queria muita apresenta-la um dia a minha esposa…ela tem pérolas tao boas quanto essa…tais como “a perereca flamejante”…

    Abraços e obrigado por mudar meu humor…hoje é um daqueles dias..rs

    Uilson
    PS: Quando puder ir com o namorado no 100 anos de história na Radio Coringao…dá um toque..

  6. Roberta Nina
    16 maio, 2011

    “Um minuto. Vou conversar com ele” – AUHAUHUHAHUAUHAUHUHAUAUHAHUAUHAUA!!!!

    Manoooo, que moleque do caraio esse amigo do Lucas com essa parada de TOP TOP TOP, minha gente?! Merece uns tapa na orelha tb, né?!

    Ai Lelê, chorei!!!!

  7. AJ NerdPai Freire
    16 maio, 2011

    Fico pensando quando o meu começar a namorar…bem, vai demorar ainda pois tem apenas 01 ano mas, mesmo assim, dá um certo medo!

  8. alinebianca
    16 maio, 2011

    Adorei o texto, rindo até agora!
    Parabéns

  9. Marcola - Nene VL Matilde
    16 maio, 2011

    genial !!!

  10. Doug
    16 maio, 2011

    Le, não tem como n~amar vcs. O texto é como sempre bem humorado, sem deixar de ser uma reflexão… “Nem por um cacete cravejado de diamantes” – Lembrei da Érika qdo li…kkkk

  11. Daygo
    16 maio, 2011

    kkkkkkkkkkk
    top top top!

    Bom, Leloca, não lembro qdo e como eu aprendi essa lição de q não se pode contar td pros outros, pq cada um entende o que quer e acaba compartilhando o q vc não quer.

  12. Amanda
    16 maio, 2011

    Ô querida, tô me matando de rir aqui, mas dava esse mesmo “cacete cravejado” pra não tar no seu lugar!! Tadinha!!

  13. Cibele
    16 maio, 2011

    Não te conheço pessoalmente, mas, quando leio seus textos tenho a impressão de estar em uma “conversa”. São leves e só quando acaba você percebe que o post não tem apenas 3 parágrafos…

    Adoro!

    Aliás, a melhor conclusão: gostar mesmo vendo que ele come a bolacha do chão… Sensacional!

  14. MarianaMSDias
    16 maio, 2011

    Sempre choro. Ou de emoção, ou de rir, como hoje.

    Moleque dus inferno! hahahahaha Fofoqueiro!

  15. Uilson Souza
    16 maio, 2011

    A do rapaz jogando no celular foi show!!! ahahahaha

  16. Éris
    16 maio, 2011

    hahahahahahahahahahahahahahahaha, melhor parte do meu dia!

  17. Eliana
    16 maio, 2011

    Sair pelada gritando seria uma boa opção, caso sua mãe não morasse no prédio. Morri de rir… !

  18. Rose
    16 maio, 2011

    acho tão lindo como vc conversa com o lucas sobre tudo. isso contribui muito pra ele ser essa fofura que aos 9 anos já teve 12 namoradas. imagina qdo chegar a adolescência. vai partir muitos corações!

  19. Hades Júnior
    16 maio, 2011

    Achei maravilhosa a narrativa. PERFEITA!

    Perfeita porque li as primeiras linhas, primordiais para se decidir continuar ou não uma leitura, e cada momento foi tão bem encadeado, além de me fazer lembrar de minha infância, os “primeiros amores eternos”…

  20. Dona Lô
    16 maio, 2011

    Meu filho tem 6 aninhos. Um coleguinha dele fica se enfiando no banheiro das meninas pedindo prá beijar na boca. Chamaram a mãe do moleque prá conversar na escola e tudo. Hoje eu fui conversar com ele sobre o assunto, escolhendo as palavras como quem cata milho no teclado do computador, e ele: ‘mãe, o Fulano é meu amgo, mas eu não faço brincadeira besta, não! Que idéia, mãe!’ Me senti mega aliviada!

  21. Débora
    16 maio, 2011

    A Ana Elisa, aquela vaca!

  22. annetharaujo
    17 maio, 2011

    Hahahahahahah, que tudo, amei o texto, super divertido, cacete cravejado de diamantes foi ótimo.

    Adoro vim aqui no seu blog, de verdade.

    Não conheço vocês, mas adoro o Lucas tambem, do caralho esse garoto, arrasa, e você tambem arrasa nos textos.

    Parabens por esse dom.

  23. Marcos
    17 maio, 2011

    kkkkkkkkkk….Lelê, vc é genial!

  24. Paula
    17 maio, 2011

    huahuahuah como sempre chorei de rir!!!!
    Bjos

  25. Filipe Casagrande
    17 maio, 2011

    Quando o Lucas ficar mais velho, descobrir a internet e entender com profundidade o que você escrevia sobre ele… eu acho que vai rir muito.

    E pensar: como minha mãe era/é especial!

    Parabéns

  26. Edmundo
    17 maio, 2011

    Oq acontece com essa criançada de hj em dia hein? rs
    Lembrei do filho do meu amigo que tem 5 anos e pediu pro pai pra cortar cabelo pra fazer sucesso com as menininhas da escola.

  27. Nuna
    18 maio, 2011

    SENSACIONAL! Adorei, tô me acabando de rir aqui…o Lucas é DEMAIS!!! :)

  28. Luiz com Z
    19 maio, 2011

    Aí eu penso no tanto de infâncias que estão sendo perdidas no presente e pra posteridade por não terem uma mãe com essa capacidade narrativa. E canso de pensar nisso e venho ler teu blog pela enésima vez. Culpa da minha namorada, que me apresentou e me viciou nisto aqui.

  29. Páua
    20 maio, 2011

    Nossa, você me lembrou dos namorados do maternal, o tempo passa e a gente acaba ignorando a existencia deles.

    O Lucas é uma graça, embora ele já tenha tido 12 namoradas(Oo), algo me diz que no futuro, esse número vai ser bem maior.

    =*

  30. Ana K.
    25 maio, 2011

    Eu me chamo Ana Elisa e tb namorei um Rafael no pré. Mas não me lembro de ele ter trocado nenhuma Leonor por mim.

    Mas se for esse o caso, fica aqui as minhas desculpas. Nós só namoramos pq a Power Ranger rosa era a namorada do Azul e a gente queria trazer maior veracidade a nossa brincadeira…

  31. marcella franco
    25 maio, 2011

    leonor, estou mandando, via sedex, o teodoro pra você. ele tem dois anos e oito meses e anda numa fase um tanto complicada, mas nada com que você não vá saber lidar – afinal, que mãe massa que é você!
    adoro seu blog, adoro seu estilo, as palavras, a escolha da narrativa. sempre um acerto. beijo e obrigada por alegrar o dia da gente :)

  32. Leonor
    25 maio, 2011

    hahaha Ana Elisa, eu já era adulta na época do Power Rangers!

    E Marcella, essa fase é BEM complicada mesmo. Mas passa, viu?! E depois piora de novo!

  33. Diego
    25 maio, 2011

    Fiz a besteira de ler as 3h50 da manha. Perdi o sono de tanto rir… Fico imaginando a cara da velha achando q a netinha iria perder a inocencia! hahaha

  34. neutron
    26 maio, 2011

    Hahahaha. Ai. Que texto ótimo! :)

  35. priscila
    27 maio, 2011

    hahahahahahahahaha sensacional! fazia anos que nao lia e esta melhor que nunca!!

  36. Bianca
    27 maio, 2011

    Faz um tempinho que eu conheço seu blog e já me emocionei e ri muito por aqui. Tb tenho um menino lindo de quase 7 que já me fez passar por umas e outras, mas estou aguardando essa fase do Lucas, ui!!!
    Parabéns, vc é ótima. Mãe e blogueira.
    beijo

  37. javo
    30 maio, 2011

    olá , sou novo no blog e a postagem está excelente , mas eu queria saber por que o começo dá série só pode ser visto com senha .

  38. Luiza
    1 junho, 2011

    São uma e meia da madrugada e eu estou CHORANDO DE RIR hahahahahahahahhaha

  39. Michele
    16 julho, 2011

    Gente, seus textos são muito bons, me pego dando risada sozinha várias vezes das suas situações, mas essa é épica demais, muito bom!

  40. Pingback: Conselho « Carambolas Azuis

  41. ale_martins (@ale_martins)
    22 agosto, 2011

    Que aula essa historia!!!
    “me deu vontade de sair pelada, gritando…” ahahahhahaahaah…. “Meu namorado pegou o celular e começou a jogar compulsivamente só para não ter que olhar pra véia.”

  42. A bastard Snow. (@DeGh0st)
    16 setembro, 2011

    Leonor, seu blog é simplesmente fantástico! Depois de ler estes seus posts, juro que fiquei com vontade de ser pai… Obrigado por compartilhar seu dom de escrever conosco. Poucas pessoas o possuem. Um abraço.

  43. Pingback: TOP! TOP! TOP! TOP! | Minha Mãe que Disse!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 16 maio, 2011 por em Na família e marcado .
%d blogueiros gostam disto: