Eneaotil

Adeus, Seu Milton!

O futebol é feito de muitos personagens. Geralmente, a gente só se lembra do torcedor sofredor, do jogador craque e do perna de pau, do cartola corrupto e do juiz ladrão. Mas os personagens são incontáveis: tem o massagista, o roupeiro, o bilheteiro, o cambista. Tem a mãe do juiz (que é sempre lembrada), a cheerleader fazendo piruetas atrás do gol, o repórter de campo, o fotógrafo tentando congelar a melhor jogada, o vendedor de amendoim que para de vender para dar uma olhadinha no jogo. Tem a tia que limpa o banheiro antes e depois (coitada) de uma partida. Tem o organizador da partida, que na maioria das vezes só desorganiza. Tem o policial que distribui cacetadas em vagabundo e trabalhador, em mulher e em criança. Tem a tiazinha que resolveu encher o isopor de cerveja pra fazer um trocado no domingo e foge do rapa. Tem o rapa, tem o tio do pernil pra matar a nossa fome na saída do jogo. E tem outro sem número de personagens, bons e ruins, que fazem o nosso futebol exatamente do jeito que ele é.

Ontem, um deles se foi e deixou o futebol muito mais triste. E foi um dos mais importantes da minha vida (e da vida de qualquer corinthiano que costuma ir ao Pacaembu), sem ao menos a gente se dar conta disso.

O Seu Milton era dono daquela voz forte que ecoava nos alto-falantes do Pacaembu. Durante boa parte da minha vida, ouvi o Seu Milton anunciar as substituições no Corinthians, a criança perdida, a carteira encontrada, os parabéns no aniversário do nosso time, os gols dos adversários, as mensagens de paz nos estádios, os avisos da Federação, as festas nos Gaviões. O Seu Milton era o dono da voz que conversava comigo sem ouvir nada de volta às quartas, aos sábados e aos domingos. Aquela voz que eu ouvia desde criança e que, pra mim, era tão familiar quanto um ente querido, tão inconfundível quanto o Cid Moreira, tão importante quanto nenhum jamais será.

Estamos nos despedindo aos poucos do Pacaembu: em breve não sentaremos mais naquela arquibancada amarela para ver o Corinthians e nos sobrará a saudade de um estádio que nasceu antes da gente, mas nos acompanhou na melhor parte de nossas vidas. A nossa primeira despedida é do Seu Milton. A ele, o meu muito obrigado corinthiano por todos esses anos fazendo com que eu me sentisse ainda mais em casa dentro do Pacaembu.

Vá com Deus, Seu Milton.

12 comentários em “Adeus, Seu Milton!

  1. Maria Carolina Araujo Cintra
    10 outubro, 2011

    :(

  2. mauricio gaia
    10 outubro, 2011

    :(

  3. tatadropsis
    10 outubro, 2011

    Sai Danilo entra XÉEEEEEEEECOOOOOOOOOOOOOOOOO.
    ahhhhhhhhhhhh : (
    Pra mim, mesmo sem o conhecer, ele era um super brother. Parecia que a gente conhecia né..
    Enfim..
    Thais

  4. Glauber Avelar
    10 outubro, 2011

    muito bonita a homenagem, parabens, e que Deus de a ele o lugar que ele merece la em cima

  5. Mônikita
    10 outubro, 2011

    É um pouco de cada corinthiano que se vai junto … com ele.
    Quem passou a vida na arquibancada do Pacaembu não têm como não estar triste.
    Que São Jorge o acompanhe.

    VAI SCCP!

  6. Gustavo
    10 outubro, 2011

    Esteja em paz seu milton, marco na minha geraçao de estadio, até logo.

  7. André Stepan
    10 outubro, 2011

    Parabéns pelo texto. Incrível. E é exatamente isso que já estou sentindo: saudade do Pacaembu. Vamos aproveitar cada jogo, cada segundo. Em breve, ganharemos a tão sonhada casa própria, mas é inegável o carinho que sempre terei pelo Pacaembu. Tenho 29 anos e frequento o estádio desde 89. Que o Seu Milton, um companheiro que sempre tive, mas nunca conheci pessoalmente, descanse em paz!

  8. Zuca Lme da Fonseca
    10 outubro, 2011

    Tenho 40 anos e ouvia “a voz” há pelo menos 30.
    Inesquecível e inconfundível.
    Força a família e que lá de cima continue a torcer pelo nosso Coringão.
    Abs

  9. Walter F. Jr.
    10 outubro, 2011

    Como sempre, no ponto. Também sofremos, todos, ontem, ao ouvir outra voz, tão estranha, tão morta que nem parecia de um vivo. A voz viva tinha sumido com Seu Milton.

  10. gustavozupak
    11 outubro, 2011

    Brilhante texto!!!Retrato FIEL do sentimento que fica…
    Gustavo Zupak

  11. Naira
    11 outubro, 2011

    Obrigada pelo texto! Por me fazer conhecer o dono da voz que me acompanha desde pequena…faz parte do Corinthians: faz parte de mim!

  12. SuH Rocha
    13 outubro, 2011

    Vá em paz sr. Milton! E obrigado por tudo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 10 outubro, 2011 por em Sem categoria e marcado , , .
%d blogueiros gostam disto: